Dia do Combate à Poluição: 14 de agosto
Que tal chamá-lo de “Dia de Reduzir a Poluição”?

photo

Pesquisando um tópico para a página Justiça, Paz e Integridade da Criação do mês de agosto, verifiquei que o dia 14 é reconhecido como Dia de Combate à Poluição.  Embora essa data já tenha passado, estou convencida que seria útil reconhecermos cada dia como uma oportunidade de ajudarmos a reduzir a poluição no nosso meio ambiente.

Um outro detalhe: eu preferiria usar um outro termo porque “combate” soa demasiadamente como “combate bélico”, como um grito de guerra. Que tal chamá-lo “Dia de Reduzir a Poluição” para indicar um esforço comum em diminuir as muitas formas de degradar o ambiente? 

Em minha pesquisa descobri muitas formas de poluição.  Procurarei mencionar vários exemplos e sugerir ações mediante as quais possamos fazer uma diferença para proteger o planeta.

O que é poluição? Como controlá-la e diminuí-la?
A poluição pode ser definida como a dispersão de elementos contaminadores no meio ambiente capazes de causar instabilidade, desordem, dano ou desconforto a alguma parte do universo físico, dos ecossistemas biológicos e de todos os organismos vivos.  A poluição pode assumir a forma de substâncias químicas ou de distúrbios físicos como o excesso de ruído, de calor ou de eletricidade.  Os elementos causadores da poluição, chamados poluentes, podem ser substâncias ou energias, naturais ou espúrias, ocorrendo em níveis excessivos.

photoA poluição inclui alta concentração de uma dada substância em determinado sistema ecológico capaz de pôr em perigo a estabilidade do mesmo.   Por exemplo, a água é inócua e essencial à vida, mas se for usada em excesso poderá ser considerada um poluente.  Se alguém beber água em demasia poderá desequilibrar seu organismo e causar até mesmo a morte. Outro exemplo é o barulho excessivo que pode induzir um desequilíbrio mental e nervoso, resultando em mau-funcionamento ou psicose, sendo inclusive utilizado como instrumento de tortura.

Controle de poluição é um termo usado em gestão ambiental integrada.  Significa controlar a emissão de substâncias nocivas como as emanações gasosas no ar e como o desaguamento do esgoto no solo ou nos sistemas hídricos.  Se o controle da poluição não for exercido, os refugos derivados do consumo, da queima e do aquecimento, da agricultura, da mineração, da indústria, dos transportes e de todas as outras atividades humanas, acumuladas ou dispersas, irão fatalmente degradar o meio ambiente.  Prevenir a poluição e reduzir o emanamento de suas propriedades prejudiciais são os meios mais eficazes de coibir seus desastrosos efeitos.

As maiores formas de poluição e as áreas mais poluídas do planeta

A poluição do ar, isto é, a dispersão de elementos químicos e substâncias particuladas (matéria sólida em forma de partículas infinitesimais) espalhadas na atmosfera, inclui muitos poluentes gasosos tais como monóxido de carbono, o dióxido de sulfúreo, o cloro-fluor-carboneto, além do óxido de nitrogênio produzidos pela indústria e pelos veículos motorizados.   O ozônio é um dos componentes do smog fotoquímico e é considerado o principal poluente atmosférico causado pela reação da luz solar sobre os óxidos de nitrogênio e hidrocarbonetos.

O que podemos fazer para reduzir a poluição do ar?
– Diminuir o número de viagens de carro, combinando várias paradas numa só viagem
– Partilhar viagens de carro com os vizinhos sempre que possível
– Usar meios públicos de transporte, ir de bicicleta ou caminhar distâncias razoáveis.

***
A poluição da água ocorre com a contaminação dos sistemas hídricos mediante o escorrimento da água da chuva sobre a superfície do solo e no sistema fluvial, a infiltração de poluentes da água no subsolo, vazamentos líquidos em sistemas hídricos, descargas de água suja residencial e industrial nos rios e o acúmulo de lixo não tratado.

O que podemos fazer para reduzir a poluição da água?  
– Podemos ser mais cuidadosos ao despejar resíduos líquidos poluentes de maneira adequada.

***

A contaminação do solo ocorre quando fertilizantes químicos e venenos são dispersos por derramamento na superfície ou por vazamento no subsolo.  Entre os contaminantes de solo mais comuns constam os hidrocarbonetos, os metais pesados, os herbicidas, os pesticidas e os hidrocarbonetos clorinados.

O que podemos fazer para reduzir a poluição do solo?
– Ao cultivar a horta e cuidar do gramado e do jardim, é preciso controlar os ingredientes contidos nos produtos utilizados para melhorar o viço e o crescimento das plantas, eliminando os de conteúdo tóxico.


***

A contaminação radioativa é resultante das atividades atômicas tais como a utilização de usinas nucleares para a geração de energia elétrica, dos testes nucleares, da fabricação, da proliferação e do posicionamento estratégico das armas nucleares no globo terrestre.   

O que podemos fazer para reduzir a poluição radioativa?
– Podemos nos manter alerta com relação à instalação de usinas nucleares e à fabricação de armas nucleares para serem utilizadas para a guerra e manifestar a nossa oposição sempre que possível.

***
A poluição sonora começa pelos ruídos eletrônicos domésticos e inclui o barulho produzido pelo trânsito nas ruas e rodovias, pelos aviões, pelas indústrias, e pelos sonares de alta intensidade em mar aberto que propagam pela água um ruído semelhante ao de explosões sucessivas para detectar navios ou submarinos, mas que podem provocar a perda de audição e conseqüente desorientação das baleias e afetar os órgãos internos de outros mamíferos marinhos.   O que podemos fazer para reduzir a poluição sonora?  Nos mantermos conscientes do volume do rádio ou do aparelho de som, em casa ou no automóvel, sejam eles nossos ou dos nossos vizinhos, e agir no sentido de diminuí-los.

***

A poluição luminosa é ocasionada pelo uso excessivo de luz elétrica  em áreas densamente povoadas e fortemente industrializadas interferindo nos ecossistemas, causando efeitos negativos à saúde, interferindo na observação astronômica ao reduzir a visibilidade das estrelas com o fulgor do céu noturno, um desperdício da iluminação pública mal-direcionada que pode ser notado a centenas de quilômetros de distância.

O que podemos fazer para reduzir a poluição luminosa?
Sermos mais conscientes no uso pessoal da eletricidade, desligando aparelhos e luminárias internas e externas de residências e outros estabelecimentos onde agimos, desligando as lâmpadas quando não estão sendo usadas, sobretudo nos cômodos desocupados.  Podemos também conscientizar-nos e aos outros quanto à nocividade e o desperdício econômico dos anúncios publicitários luminosos e dos outdoors iluminados.

***

A poluição visual  pode referir-se desde o excesso de cartazes de propaganda, outdoors, faixas, placas, e  anúncios luminosos, ao emaranhado de fios e cabos elétricos entre postes de eletrificação e torres de alta tensão, assim como a pixação e os grafites nos muros, ou ao lixo exposto, aos terrenos baldios cobertos de detritos, até as paisagens desoladas pela mineração de superfície.

O que podemos fazer para reduzir a poluição visual?
– Despejar o lixo apropriadamente em recipientes para a coleta; reciclar o material aproveitável como vidro, lata, alumínio, papel limpo e recipientes de plástico reciclável; visitar um local de recolhimento e reciclagem para aprender como funciona esse método tão necessário à redução do excesso de lixo urbano.

***

A poluição térmica consiste no aquecimento das águas naturais pela introdução da água quente utilizada na refrigeração de centrais elétricas, usinas nucleares, refinarias, siderúrgicas e indústrias diversas, o que prejudica diversas formas de vida aquática.  Sendo também causada pelo aquecimento global, pode determinar  a perda de muitas espécies animais e vegetais.

O que podemos fazer para reduzir a poluição térmical?
– Mesmo estando mais fora do alcance das nossas atividades diárias, a poluição térmica pode ser reduzida se controlarmos sempre a temperatura da água quente utilizada na cozinha e no banheiro, sobretudo quando se tem instalado um sistema de aquecimento central (caldeira e radiadores ou piso radiante) para evitar o desperdício da água quente e do combustível utilizado para o seu esquentamento.

Os efeitos da poluição
A má qualidade do ar pode causar a morte de muitos organismos, inclusive pessoas humanas.  O ozônio pode provocar irritação no trato respiratório, doenças cardio-vasculares, inflamação da garganta, tosse, dores no peito, fadiga, congestão e resistência a infecções.  A água poluída chega a causar aproximadamente 14.000 mortes por dia em todo o mundo, a maioria nos países pobres devido à contaminação da água de beber pelo esgoto não tratado.

Derramamentos de petróleo podem causar irritações cutâneas e urticárias.  A poluição sonora pode causar perda de audição, pressão alta, estresse e distúrbios do sono.  A poluição por mercúrio, sobretudo na água dos rios, tem causado deficiências no desenvolvimento das crianças e sintomas neurológicos nos adultos.  O chumbo, o alumínio e outros metais tóxicos são comprovados causadores de problemas neurológicos e cerebro-vasculares e outras substâncias químicas e radioativas podem causar câncer e defeitos de nascença.

Muitas nações ao redor do mundo têm procurado proteger o meio ambiente promulgando legislações para regular os vários tipos de poluição, e mitigar seus efeitos negativos.

photoO Protocolo de Kyoto (1998) é uma emenda feita à Convenção das Nações Unidas sobre a Mudança Climática (1992) , um tratado internacional sobre o aquecimento global que reafirma algumas partes da Convenção das Nações Unidas para as Alterações Climáticas (UNFCCC).  Os países que ratificaram o Protocolo de Kyoto prometeram reduzir até 2012 as suas emissões de dióxido de carbono e outros cinco gases nocivos, comprovados causadores do efeito estufa, ou engajar-se em negociar tais emissões se continuarem mantendo o mesmo nível ou se aumentarem a emissão desses gases.   Um total de 141 países ratificaram esse acordo.  Exceções notáveis incluem os Estados Unidos e a Austrália que o assinaram mas não o ratificaram.  O motivo alegado pelos Estados Unidos foi a isenção da China e da Índia entre os maiores emissores de gases de efeito-estufa por serem considerados como países em desenvolvimento.  O Brasil, apesar de participante ativo em Kyoto e de ter ratificado o Protocolo, eximiu-se do compromisso de reduzir suas emissões, por ser um país em desenvolvimento.

A 13ª Conferência da ONU sobre Mudança Climática em 2007 contou com a participação de 180 países, teve por objetivo superar o Protocolo de Kyoto que expirará em 2012.  Continua sendo muito grande a tarefa a ser cumprida até as metas estabelecidas serem alcançadas.    É importante termos em mente os efeitos negativos dos vários tipos de poluição e de tudo o que podemos fazer, ainda que muito modestamente, para aumentar a consciência e diminuir a poluição, à medida que seus efeitos estão sendo cada vez mais ligados à mudança climática, ou aquecimento global, que tanto nos tem preocupado.

Irmã Karen J. Hartman, S.F.P.

[As citações neste artigo são provenientes da enciclopedia virtual Wikipedia]